Além do Mais…

A união faz a força

Na festa de 31 anos do PT de Ribeirão Pires, chamou atenção a presença maciça de autoridades de destaque na região, como o deputado estadual Donisete Braga, o deputado federal José de Filippi e o prefeito de Mauá, Oswaldo Dias (todos do PT), o que deixou os militantes do partido muito felizes. Um deles, mais exaltado, bradou: “aqui sim tem união e força”. Seria um recado indireto (ou direto) para o chamado “outro lado”?

Pés no chão

O PT foi classificado pelo grupo governista como “a maior ameaça”, a “pedra no sapato” do projeto que busca eleger Dedé (PPS) para o próximo mandato, reflexo das tais pesquisas que buscam traçar o perfil atual do eleitorado da cidade. A pré-candidata do partido, Maria Inês, reconhece tal posição, mas, ciente disso, mostra que está com os pés no chão: “nenhuma eleição é ganha, a campanha nem começou ainda. Não devemos subestimar os rivais. Tudo vai ser definido na sola do sapato”.

Cobertor Curto

Uma “pergunta que não quer calar” é a questão das verbas de Saúde. A APRAESPI tem reclamado há semanas do atraso no repasse de alguns valores oriundos do SUS, alvo até mesmo de um informativo. Nas internas, há quem diga que isso é resultado de uma operação emergencial para quitar a dívida com outra instituição que presta serviços na área em Ribeirão Pires. Seria o famoso “descobrir a cabeça para cobrir o pé”?

Ponte Preta do ABC?

Chama a atenção na entrada do ginásio principal do Ribeirão Pires FC a sala de troféus. Além de uma porta de vidro equipada com um poderoso insulfilm preto, ainda há um portão com um grande cadeado. Hermeticamente fechado, o local aparece com o propósito invertido, já que ao invés de exibir as conquistas, as esconde. Comentário maldoso que corre pela cidade diz que, na verdade, é a sala da Ponte Preta, clube centenário que é ironizado justamente pela ausência de taças…

Indulto de Natal

Havia prometido usar outras vezes este espaço para denúncias e abusos dos agentes de trânsito e seus chefes. Material não falta, já que, a toda hora, há motoristas contando uma história mais cabeluda que a anterior. Entretanto resolvi, nesta última edição do ano, conceder um Indulto de Natal e aproveitar esta época em que os corações e mentes ficam mais receptivos para recomendar um pouco mais de bom-senso àqueles que têm a caneta e o bloco de multas em mãos.

Compartilhe