Além do Mais…

Desinformando I

A publicação em alguns jornais, do número de cinco milhões de reais arrecadados em cupons da Nota Fiscal Paulista, pela Secretaria de Promoção Social de Ribeirão Pires, e distribuídas às catorze entidades assistenciais cadastradas, tem gerado muita confusão até entre cidadãos mais bem informados. Foi publicado que as entidades receberam até 30% do valor arrecadado em cupons, quando a realidade é bem outra.

Desinformando II

A fim de mostrar serviço, a Secretaria publicou números superlativos e os jornais, informações erradas. Do montante de cinco milhões em cupons, a Secretaria da Fazenda Estadual repassa aos participantes do programa, uma média inferior a 10% do imposto (ICMS) cobrado e pago pelo contribuinte e a alíquota do imposto varia muito. Bebidas, combustível, alguns alimentos, telefone e energia não rendem nada.

Desinformando III

Outros produtos, entretanto, tem alíquotas de 12 até 18%. Vamos dar um exemplo: numa compra de R$ 100, o Governo cobra R$ 12 de ICMS, desses, apenas 10%, ou seja R$ 1,20, em média são destinados a devolução através do programa. Então vejamos: R$ 5.000.000,00 X 12% = R$ 600.000,00 (seiscentos mil); X 10% = R$ 60.000,00 que deve ser + ou – o valor total recebido pelas 14 entidades durante os dois anos de vigência do programa.

Encontros casuais I

O que de fato teria levado os inimigos mortais Saulo Benevides e Clóvis Volpi a se encontrarem no gabinete do prefeito em companhia da deputada Vanessa Damo? Muitos dizem aos cochichos que Saulo e Volpi estariam armando uma possível composição a ser posta na mesa política lá na frente, quando a situação para ganhar a eleição exigisse tal composição. Nessa jogada, algumas cartas seriam descartadas. E agora, em quem confiar?

Encontros Casuais II

Vanessa Damo e seus amigos usaram um discurso com tom de preocupação com o bem da população, visando a democracia, levantando uma bandeira de paz a fim de beneficiar os moradores de Ribeirão Pires. Do lado do Governo, a conversa se manteve cordial, os ânimos contidos. Tudo levava a crer que o encontro “não” tinha por objetivo suplicar ao prefeito que não desperdiçasse a oportunidade dos opositores de garantir mais alguns votos conquistados com o novo asfalto.

Encontros Casuais III

Ao término da reunião, Saulo olhou nos olhos do prefeito, numa cena cinematográfica, e disse apenas: “Obrigado”, apertando a mão de seu antigo correligionário. A aproximação de ambos foi uma surpresa para todos, porém resta uma pulga atrás da orelha. Será que nesse mato tem coelho? … Será?

Compartilhe