Além do Mais…

Do PPS ao PSD

O “troca-troca” político tem se mostrado uma caixinha de surpresas, ainda mais depois da oficialização do PSD nas mãos do vereador Koiti da Marutaka. Membros do grupo de governo têm debandado em massa para a nova legenda. O mais recente caso é o do vereador Zé Nelson, que por anos atuou no PPS, rebelando-se contra o vice-prefeito Dedé da Folha, que não deve ficar satisfeito com a decisão.

Do PR ao PSD

Além de Zé Nelson, outro que vem iniciando um relacionamento com o PSD é o Vicentinho (PR). Em uma recente entrevista ao Mais Notícias, o vereador disse que só apoiaria seu partido caso este lançasse candidato próprio. Como há um risco do PR ser deixado de lado, Vicentinho abriu um novo diálogo com o grupo do vereador Saulo. Caso mude de partido, o PSD será a bancada mais numerosa da cidade: 04 vereadores.

Do PV ao PMDB

Outro partido que tem atraído a atenção de figuras políticas é o PMDB. Até o final do mês, o vereador Saulo Benevides deve oficializar sua mudança para a sigla. Saulo não irá sozinho, será acompanhado de Rubão, seu suplente e o único que havia mostrado disponibilidade de cassar a cadeira do vereador na Câmara. Agora, ambos serão correligionários.

Do PTB ao Paço

Enquanto isso, o grupo de apoio do governo continua se dividindo. Ainda não há um nome em comum a ser indicado pelo prefeito. O vereador Antônio Muraki (PTB) já deu sinal de que será, independente da vontade do prefeito, candidato majoritário em 2012. Essa decisão deixa os outros nomes (Dedé, Nonô e Rosi) em situação desconfortável, já que terão que correr atrás do prejuízo.

Do PV ao banco da praça

No meio do fogo cruzado das discussões e especulações sobre quem será o “nome do prefeito”, Clóvis Volpi (PV) só tem tocado em um assunto: Aposentadoria. De acordo com o prefeito, também em uma recente entrevista ao Mais Notícias, Volpi teria dito que já trabalhou muito e que não será mais candidato, que após seu mandato irá se aposentar e desfrutar de um bom descanso.

Só ele pode conseguir…

Ainda sobre a sucessão municipal, embora os “candidatos a candidato” sonhem acordados em serem conduzidos pelas mãos de Volpi ao palanque visando uma transferência de votos, isso não deve acontecer. Ao menos é a opinião da pré-candidata do PT, a também ex-prefeita Maria Inês. Para ela, apenas uma pessoa tem essa capacidade e ela está bem longe do ninho verde: Lula.

Compartilhe