Além do Mais…

Dê ao povo o que ele quer

Grandes shows, e a expectativa que neste ano o Festival do Chocolate seria melhor que do ano passado. Durou pouco. Cancelado por falta de verbas, munícipes e comerciantes ficaram a ver navios. Uns acreditam que foi o povo que escolheu assim, já que o dinheiro que iria ser gasto no Festival poderá ir para Saúde, Educação entre outras secretarias. O povo teve o que pediu, é verdade, mas há quem considere que o governo está como “cego em tiroteio”…

A culpa é do mordomo

Durante a última sessão da Câmara, os vereadores tentaram explicar os reais motivos do cancelamento do festival. Dentre as muitas explicações, a favorita era velha conhecida: “as dividas deixadas pela antiga gestão”. O já batido mantra que coloca o ex-prefeito como culpado por tudo lembra aquelas velhas histórias de detetive onde todos já sabiam o desfecho antes mesmo de abrir o livro, afinal de contas o culpado era sempre aquele que não podia se defender: o mordomo…

Bode expiatório

Falando em culpar o mordomo, algumas pessoas ligadas ao governo tentaram de todo o jeito imputar a culpa pela confusão que, não fosse a ação da GCM teria resultado em invasão do Paço Municipal ao PT, tentando “partidarizar” o fato. Verdade seja dita, isso não aconteceu. Sabendo disso, o vereador Renato Foresto, apontado como o “mordomo da vez”, se mostrou extremamente irritado em ser classificado como “bode expiatório” do vandalismo. Vale ressaltar que ele deixou o ato muito antes de seu término.

Hora do troco

Irritadíssimo por receber uma culpa que não era sua, Renato Foresto engrossou o discurso e deixou clara sua posição perante os governistas que são maioria na casa. Mostrando não ter gostado nada desse boato, ainda mais por ter se originado de dentro do governo, ele deixou bem clara qual será sua postura a partir de agora: “agora, vocês vão ver o que é fazer oposição”.

Acertando os ponteiros

Via de regra, o primeiro ano de mandato serve para se tomar todas as medidas impopulares que sejam necessárias, é a hora de “cortar na carne”. Evidentemente, cancelar o Festival do Chocolate se classifica nesta categoria. Dentro do governo, já há quem tema que o prefeito “se empolgue” e faça mudanças em alguns setores que estão rendendo abaixo do esperado. Conselheiros não faltam, para bem e para mal. Resta saber qual deles será ouvido…

Ausência

A grande ausência da sessão, perfeitamente explicável, foi de Mercedes D’Orto, que está hospitalizada. Antes do início, os vereadores presentes lhe renderam uma salva de palmas e desejos de pronta melhora. O Jornal Mais Notícias endossa a palavra dos vereadores e deseja um rápido retorno à vereadora.

Compartilhe