Além do Mais…

Rapidinha

O processo foi demorado, virou tema de novela, noites de sono foram perdidas devido à preocupação sobre o assunto, meses se passaram e as pessoas aguardavam ansiosamente o desfecho. Em apenas três minutos e quarenta e oito segundos tudo acabou, já que o STF decidiu, sem muito esforço, negar o pedido de recurso de Dedé e considerá-lo, sem mais discussão, um “Ficha Suja”. Cabe agora ao inconformado ex-candidato lamentar-se ou assumir que dessa vez a “verdade” ganhou.

Amigos, amigos…

Podem até ser amigos, mas quando o assunto é a presidência da Câmara, as cordialidades são postas de lado e nesse jogo, que mais parece luta de MMA, definitivamente ‘vale tudo’.  Mercedes D’Orto parece não desistir de fazer a dobradinha: além de ter sido a mais votada do pleito, também quer ser a primeira mulher presidente da história da Casa de Leis. O que ela não contava é que seus amigos, vereadores reeleitos com anos de experiência de Casa, Banha e Jorge, fossem fazer frente aos desejos da Onda Rosa. Pelo menos, a voz que ecoa pelos quatro cantos da cidade clama pela renovação, dando vantagem à Mercedes.

… Negócios a parte

A briga pela presidência hoje está equilibrada. Banha deverá ser o indicado do grupo do novo prefeito, enquanto Jorge ficará com o apoio do antigo mandatário. A Mercedes, sobra a liderança da chapa alternativa. Seja como for, os três grupos encaram um desafio pela frente: como confiar nos demais companheiros de bancada? A amizade pouco vale nessa briga. Influência política e outros benefícios deverão ser o diferencial, afinal, como diria um renomado economista, “são apenas negócios”. Pelo menos o chefe do PV, Clóvis Volpi, aparentando não apoiar ninguém deverá ceder um agrado ao seu partido.

E o Zé?

O ano está acabando, mas nosso amigo ainda rendeu mais uma de suas histórias. Na semana passada, a primeira sessão extraordinária da Câmara foi marcada para um dia mais do que especial, o dia de seu casamento. Com isso, o Zé ficou naquela de “vou ou não vou” para a viagem de núpcias. Pobre Zé… não ganha folga nem no casamento!

É só o fim

O que será do amanhã? Essa é a pergunta que vários dos funcionários da Prefeitura e da Câmara estão se fazendo neste momento. Com o fim das atividades de 2012, já há quem esteja tratando atualizar os currículos para voltar ao disputado mercado de trabalho, até porque as contas, tão inevitáveis quanto a morte, não param de chegar. Vida que segue. Agora, aos mais apegados ao poder, vale a velha profecia maia: o mundo acabou.

Compartilhe