Além do Mais…

Dinastia Volpi ou Damo? I

Com o fim das eleições muitos diziam que a vitória de Saulo Benevides atrairia vários nomes de indicação de sua amiga e madrinha política Vanessa Damo para ocupar cargos estratégicos em Ribeirão Pires. Embora a suspeita ainda permaneça no ar, uma situação oposta surgiu. De receptores, passamos a ser exportadores de mão-de-obra política uma vez que Volpi, mesmo tendo perdido a eleição, não perdeu o rebolado.

Dinastia Volpi ou Damo? II

O prefeito Clóvis Volpi encerra seu mandato com um legado. Além de ter sido alvo de várias críticas, ataques de rivais, processos e até um bloqueio de bens, foi o responsável por criar bons produtos para exportação política. Rosi, por exemplo, está de malas prontas para ocupar a Secretaria de Educação de Diadema. Além dela, outros nomes serão exportados para Mauá e outras cidades, seguindo o caminho reverso do profetizado sobre os pupilos de Damo.

E o Zé?

Indignado com o Ibope que o Mais Notícias tem lhe dado semanalmente nesta coluna, o nosso amigo Zé Nelson ainda não percebeu o que acontece por trás das cortinas políticas da cidade. Amigo Zé, não temos culpa que seus amigos soltam a língua ao contar sobre seus mirabolantes causos, o que resulta em algumas poucas linhas de dedicação exclusiva a sua personalidade um tanto quanto bruta, porém adorável. É natal Zé!

Férias antecipadas

Com a última sessão da Câmara deste ano, os vereadores estão se preparando para antecipar as férias, tudo por conta do fim: Chegamos ao fim do ano; eles chegaram ao fim do mandato; a humanidade chegou ao fim do mundo e até mesmo o prefeito eleito, Saulo, pode ver o fim de um sonho. Para então curtir o fim sem se preocupar, nada melhor que antecipar as férias, afinal, vai que alguma coisa aconteça e as férias se atrapalhem.

Férias interrompidas

Câmara em recesso por conta do fim de tudo, como apontado acima, mas graças a boa gestão financeira da Prefeitura, em algum dia da semana que vem, os vereadores deverão voltar de viagem apenas para votar um único item em caráter de urgência. Tal projeto visa corrigir um sério erro financeiro da Prefeitura, que por alguns meses deixou de fazer repasses fundamentais à conta da previdência. Para evitar as drásticas consequências, a Prefeitura deverá apelar ao Legislativo, pela última vez…

 

Compartilhe