Além do Mais 09/02/2018

Somos palhaços?

A queda de braço entre o Legislativo e o Executivo teve novo “round” na Sessão de ontem, quando um Projeto de Lei complementar assinado por 14 dos 17 vereadores da casa acabou sendo derrotado por 10 a 6 e uma ausência. O curioso é que o projeto dava maiores poderes aos edis na fiscalização das licitações e contratos do Executivo, mas recebeu votos em contrários de vários vereadores que apresentaram o projeto.

Somos palhaços? II

Para usar uma expressão bem popular, o vereador e presidente Rubão virou um “siri na lata” com os colegas de plenário que “furaram” o acordo, reprovando o projeto e deixando-o “no vácuo”. No auge da indignação, o presidente disse estar fazendo papel de palhaço. O SAI (Serviço de Informações Anônimas), que edita esta coluna, moverá céus e terra para saber quais forças ocultas fizeram os vereadores mudar de ideia.

Eu (não) sou louco!

Amaury Dias (PV) foi mais um vereador a “bater” nos contrários ao projeto. “Eu menti na semana passada, quando disse que essa Casa ia mudar, mas não vai. Ou menti, ou estou louco, porque não é possível”, desabafou o vereador, que ainda se desculpou pela “mentira” e que tinha como plateia sua mãe. Mas que dia que a Sra. Dias escolheu para acompanhar o trabalho do filho!

Mesmice

A rejeição à tal projeto continuou tendo reflexos negativos durante a Sessão. Os edis favoráveis, em sua maioria, afirmaram que os vereadores não estão na Câmara só para tapar buracos. O Segundo Secretário, Anselmo Martins (PR), por exemplo, contou que, quando o pedem para cobrar o Executivo acerca de manutenções deste tipo, “eu já falo para a pessoa ligar na Secretaria, pois já não querem me ver nem pintado. Querem ver o diabo, mas não a mim”. E, quando foi ler um requerimento semelhante do vereador Flávio Gomes (PPS), entoou: “É mais buraco!”

Compartilhe