Alckimin lança edital e confirma chegada do Metrô ao ABC

O edital de concorrência para a construção da nova linha do Metrô que vai ligar a capital ao Grande ABC foi lançado pelo governador Geraldo Alckmin ontem, em evento realizado no Palácio do Governo, em São Paulo. A PPP (Parceria Público-Privada) da Linha 18-Bronze será para as obras do monotrilho, operação e manutenção da linha pelo período de 25 anos.

Linha passará por Santo André, São Caetano e São Bernardo

Linha passará por Santo André, São Caetano e São Bernardo

“A gente imagina que possa assinar o contrato em 90 dias, se não tiver nenhum problema jurídico”, afirmou Alckmin. “É a primeira vez que o Metrô sai da capital indo para o ABC”, destacou o governador, que disse ainda que cada trem tira até 560 carros de passeio das ruas. A linha deve atender 314 mil passageiros por dia e terá 26 trens. O investimento será de R$ 4,2 bilhões, sendo R$ 3,8 bilhões custeados 50% pelo Governo do Estado e 50% pela iniciativa privada. Os outros R$ 406 milhões são referentes às desapropriações que serão executadas pelo Estado. Deste valor, R$ 400 milhões vêm do Governo Federal a fundo perdido, por meio do PAC 2 (Plano de Aceleração do Crescimento 2).

A expectativa do Governo do Estado é de que as obras sejam iniciadas ainda em 2014 e concluídas até 2018. Os prefeitos de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, de Santo André, Carlos Grana, e de São Caetano, Paulo Pinheiro, estiveram presentes para assinar o convênio.

Monotrilho São Paulo-ABC

A Linha 18 terá 14,9 km de extensão operacional de um total de 15,7 km, atendendo os municípios de São Paulo, São Caetano do Sul, Santo André e São Bernardo do Campo. Terá 13 estações: Tamanduateí, Goiás, Espaço Cerâmica, Estrada das Lágrimas, Praça Regina Matiello, Instituto Mauá, Afonsina, Fundação Santo André, Winston Churchill, Senador Vergueiro, Baeta Neves, Paço Municipal (São Bernardo) e Djalma Dutra

Na estação Djalma Dutra, fará integração com um novo corredor de ônibus que será construído pela Prefeitura de São Bernardo. Haverá ainda integração com a Linha 2-Verde do Metrô e com a Linha 10-Turquesa da CPTM na estação Tamanduateí e com o Corredor São Mateus-Jabaquara-Morumbi da EMTU.

Vantagens do Monotrilho

Os trens do sistema monotrilho funcionam com energia elétrica e se movimentam com pneus, o que torna a operação silenciosa e ambientalmente sustentável. Suas composições correm sobre vigas de concreto ou metal, com a mesma velocidade de Metrô. Além da obra de monotrilho ter custos menores, sua construção é mais rápida do que a do metrô convencional.

“Nós estamos tratando de um modal que é não poluente, ou seja, não utiliza combustíveis fósseis e que permite a utilização de um transporte de alta capacidade. Além do mais, é silencioso porque utiliza pneu. Você consegue ter um transporte que, além de não poluente, não agride o meio ambiente”, disse o ministro das cidades, Agnaldo Ribeiro, que também participou do lançamento do edital.

Os trens terão ar condicionado; sinalização inteligente, que permite maior aproximação entre os trens mantendo alto nível de segurança, e câmeras internas no veículo. Sua operação terá o mesmo índice de qualidade das demais linhas do Metrô. O monotrilho já é utilizado em diversos países, como China, Estados Unidos, Japão, Austrália, Malásia e Dubai, e em implantação em Mumbai, na Índia.

Compartilhe