Afasta de mim esse cálice…

Passados os primeiros 33 dias de 2012, já é possível depor uma série de conclusões, algumas otimistas e outras que beiram o escabroso. A primeira delas é que o clima político da cidade, usualmente morno, ganhou temperatura elevada e a tensão já se estabeleceu antes mesmo de serem realizadas as convenções.

Prova disso é um fato inusitado que aconteceu esta semana em uma reunião política com uma grande quantidade de partidos de situação. A presença de um repórter para fazer o registro do encontro causou incômodo e pressão a ponto de o mesmo ter sido praticamente expulso do local sob a alegação de que “não seria permitido o registro pela imprensa”. Surpresa ou não, o tal “encontro secreto” apareceu estampado em um órgão de mídia que já se postulou como situacionista a ponto de ser, jocosamente, chamado de “Diário Oficial”.

Mais do que isso, há quem diga que a postura crítica da maioria da imprensa ribeirãopirense em relação à atual Administração está causando pruridos em alguns nomes importantes da cidade a ponto de terem externado, meio em tom sério, meio em tom de brincadeira o desejo de “aniquilar” as vozes contrárias por acharem que estão mais altas que deveriam.

Para os que pensam não haver uma boa explicação para tais atitudes, podemos enumerar a sanha pelo poder, aquela obsessão que faz as pessoas até mesmo se esquecerem do bom senso. O inteligente sabe – não é preciso repetir – que a melhor forma de degustar uma conquista é quando ela chega de forma limpa, sem aniquilar quem quer que seja, afinal, o bom rival é aquele que reconhece sua conquista.

Bem, para a tristeza destes, cabe a nós relembrar que o Brasil já não vive mais a ditadura, pelo contrário, hoje os cidadãos e a imprensa são livres para, com responsabilidade, expor o que deve ser dito, sem rabo preso e sem papas na língua. O jornal de verdade, como é o Mais Notícias, não se submete ou se cala com tentativas baratas de cercear um direito fundamental do cidadão, que é o direito a informação livre, isenta e imparcial. Doa a quem doer.

Compartilhe