Poluição zero em prol da natureza

Há muitos anos, o planeta discute a questão da poluição do ar que, em especial nas grandes cidades, é o principal responsável por doenças, além de contribuir significativamente para o aquecimento global. Dentre os grandes “vilões” que atacam a qualidade do ar, a emissão do Dióxido de Carbono (CO2), entre outros gases, por parte dos veículos automotores é apontada como a principal responsável pela poluição.

Twizy, carro elétrico da Renault que será montado em Itaipu

Pensando nisso, há muito se discutem alternativas “ecologicamente corretas” para o uso dos veículos, que passam desde o uso de etanol que, embora prejudique por ser de origem vegetal e demandar uma grande quantidade de terra devastada para as plantações de cana-de-açúcar, frutas e grãos, entre outros vegetais, é renovável e emite menos gases, até os veículos elétricos que, hoje, são vistos como a grande novidade deste mercado.

No Brasil, a principal iniciativa está com o grupo Renault-Nissan que, inclusive, tem fornecido veículos elétricos para táxis em São Paulo e Rio de Janeiro. Na última segunda, a empresa assinou uma cooperação técnica com a Itaipu Binacional para a montagem de 32 unidades do Twizy, um minicarro de uso estritamente urbano, no Centro de Pesquisa de Desenvolvimento e Montagem de Veículos Elétricos de Itaipu, em Foz do Iguaçu, no Paraná, uma iniciativa da usina para a viabilização dos veículos elétricos no Brasil.

A ideia é que os componentes sejam nacionalizados pouco a pouco para que haja uma produção nacional, algo que é interessante para as empresas e para o meio ambiente. “O acordo com a Renault une grandes empresas, líderes em seus segmentos, que têm o desejo de desenvolver tecnologias limpas, que não agridem o meio ambiente com a emissão de gases poluentes”, afirmou Jorge Samek, diretor geral Brasil da Itaipu Binacional. “Tenho a convicção de que o veículo elétrico estará presente no futuro da mobilidade”, completou. Além do Twizy, a Renault também produz o Fluence ZE (modelo top de linha), o comercial leve Kangoo ZE e o hatch Zoe.

Vantagens – O chamado “combustível do futuro” tem como grande vantagem a redução da emissão de poluentes e o fato de ser uma energia renovável. No caso do Brasil, em que a grande maioria da energia não provém da queima de combustíveis fósseis, a poluição seria próxima de zero. Mesmo em locais onde se faz uso de usinas termoelétricas, a emissão de carbono seria menor do que 1% do que as geradas pelos motores tradicionais, de combustão interna.

Desta forma, é seguro dizer que os carros movidos a baterias elétricas são uma opção limpa e renovável, já que as baterias são quase que 100% recicláveis. Além disso, um típico carro elétrico consegue rodar 70 km com cerca de R$ 2,20 de eletricidade, o que também daria um bom alívio no orçamento das famílias. Enfim: o carro elétrico é uma alternativa viável que, em pouco tempo cairá no gosto do motorista brasileiro.

Compartilhe