Roubo de cabos telefônicos prejudica funcionamento de indústria

Após denúncias, a redação do Jornal Mais Notícias foi apurar o roubo constante de cabos de linha telefônica na altura do KM 8 da Estrada de Sapopemba. O trecho vem sofrendo com o problema desde o final do ano passado.

Sumiço de cabos é uma constante na região

“Esse é um problema, que definitivamente acaba com a rotina de trabalho. Mudamos recentemente a empresa Nimsay Metalúrgica para Ribeirão Pires e, desde o começo, enfrentamos alguns problemas. Estamos no final da linha telefônica da cidade então tudo é mais difícil, passamos por um processo árduo para conseguir o Speedy que, para nós, é essencial, temos que ter acesso à internet todos os dias. A consequência dos roubos dos cabos telefônicos são muitas, ficamos sem contato com os clientes, sem segurança, pois, o monitoramento é feito através da linha telefônica e também é impossível realizar o faturamento, já que não se consegue emitir nota fiscal eletrônica”, desabafa o gerente geral Nelson Filho.

O roubo de cabos muitas vezes está ligado ao cobre, o fio é desencapado e o material é vendido. Neste caso, contudo o gerente da metalúrgica tem outra opinião “cheguei a pensar que são usuários de drogas, mas isso ficou totalmente fora de questão quando em conversa com técnicos elétricos, os mesmos disseram que a quantidade de cobre existente nesses cabos é muito pequena, então a quem poderia interessar?”, questionou o gerente geral.

Segundo o entrevistado, desde o final ano passado, já foram dez roubos. O que alenta é que em todas as vezes o reparo foi feito, “Por várias vezes tentei buscar informações junto a Telefônica (VIVO) e a mesma disse que deveria procurar a solução junto ao município”.

Respostas – Segundo a assessoria de imprensa da Policia Civil, nestes casos é preciso lavrar Boletim de Ocorrência para que as autoridades investiguem e tomem as providencias necessárias. “Fui à delegacia de Ribeirão Pires, seguindo a instrução do assessor jurídico da empresa para fazê-lo, mas não era possível segundo ao delegado que pediu para que eu procurasse o PROCON”, Nelson Filho.

Em relação a esse caso de não registro de ocorrência, a assessoria da Policia Civil, explica que o prejudicado é a empresa e o correto seria registrar um boletim de ocorrência não criminal. Após realizar esse procedimento junto à delegacia, é possível cobrar melhorias no sistema junto a telefônica (VIVO), e se não houver solução o documento pode ser usado como prova e também como entrada para um processo.

Compartilhe