Capitão da PM alivia preocupação com assaltos e furtos na cidade

Maurício Kupstaite, Capitão da Polícia Militar de Ribeirão Pires e há 27 anos no ramo Militar, explicou que os números dos Indicadores de Criminalidade do Estado de São Paulo, publicados em matéria de capa da edição passada do Jornal Mais Notícias, podem ser mal interpretados e assustar a população.

Capitão Kupstaite explica como funciona o Programa de Policiamento Inteligente

O Levantamento semanal feito pela PM local apresenta índices mais detalhados, com ocorrências divididas conforme sua gravidade. O capitão explicou que nos Indicadores de Criminalidade do Estado de São Paulo aferidos pela Secretaria de Segurança Pública, os números são somados de maneira mais geral, o que poderia assustar a população. Ou seja, um furto de celular é classificado na mesma categoria de um furto à residência, sendo que possuem pesos e medidas diferentes a serem tomadas. “Trabalhamos com priorização do crime. Homicídio, por exemplo, sempre tem índice máximo. Nossos números são discriminados”, afirma Kupstaite.

Nos dados apresentados pelo Capitão, é possível ver uma queda no número específico de ocorrências, principalmente nas mais graves. Esse levantamento faz parte do PPI (Programa de Policiamento Inteligente), em que, usando um mapa como base, cada crime que acontece é marcado com uma mancha na região onde ocorreu. Por isso, o capitão explica a importância de fazer o B.O. (Boletim de Ocorrência). O policiamento dos bairros é feito com base nesses registros e, se o mapa possui uma região da cidade com muitas manchas, os cuidados da PM se voltam para aquela área.

Kupstaite garante que todos os B.O.s são analisados pela PM e, por mais que o objeto roubado seja sem valor, é importante que ele conste nos índices. “Se a pessoa não faz o Boletim, a gente pode considerar a área que aconteceu o crime como uma área tranqüila por falta de ocorrências”, esclarece.

Foi por conta desses registros que o policiamento em Ouro Fino foi reforçado, inclusive com um policial da Rota e, em breve, a Quarta Divisão também ganhará mais patrulhamento por conta das ocorrências.

As denúncias são muito importantes para o planejamento policial, por tanto se você tem algum problema ou informação, é importante passar para a PM. “Pode deixar aqui na sede uma carta, anônima ou não. Para nós é importante saber o ocorrido, não quem está delatando”, conta o Capitão.

Hoje, o batalhão se encontra na Rua João Domingues de Oliveira, ao lado da agência dos Correios, mas, para melhor atender a população e ter mais espaço de treinamento, em breve mudará de endereço para a Avenida Francisco Monteiro, 254, na antiga sede da Secretaria de Promoção Social.

Compartilhe