“Ou o prefeito é cego ou é surdo”, critica Saulo

O vereador Saulo Benevides (PMDB), tornou público uma série de críticas contra a atual Administração, que incluiu afirmações diretas contra o prefeito Clóvis Volpi (PV) e contra seu secretário de Assuntos Jurídicos, Alan Frazatti. O pronunciamento ocorreu durante a sessão da Câmara desta semana.

Saulo “deu nome aos bois” ao apontar irregularidades na Administração

Saulo solicitou o uso da tribuna livre e foi direto ao ponto: “Lá atrás, a CEMED comprometeu o orçamento da Saúde e deixou a desejar o atendimento na cidade. Não bastasse isso, o prefeito decidiu manter a terceirização da Saúde permitindo com que a Iluminattus causasse mais prejuízos aos cofres públicos”.

As criticas continuaram ao ponto de tornarem-se acusações. “Demorou sete anos para o prefeito reconhecer que houve alguma fraude. Se perderam vidas durante esse período. Ou o prefeito é cego ou é surdo, porque demorou a ver ou nunca ouviu reclamações. Nós, os vereadores, ouvimos reclamações e agora esse cara-de-pau faz manobra contra o Ministério Público, deixando de ser réu para ser vitima”, disse. Essa última afirmação se refere ao fato de o prefeito ter aberto uma ação no Ministério Público contra a Iluminattus por supostamente ter encontrado falhas na prestação de contas da entidade.

“Quem pagou os cheques da Iluminattus? Ou ele (Volpi) está confirmando que é incompetente? Uma manobra dessas é dizer que a Câmara e o povo são bobos”, manifestou o peemedebista.

Após ouvir a defesa por parte de vereadores da bancada governistas, Saulo disparou contra o Frazatti, que atualmente ocupa interinamente a Pasta de Saúde. “Quando apresentei o pedido da CEI, o primeiro que seria preso é o Alan Frazatti por obstruir a investigação do Ministério Público”, atacou o opositor ao concluir com ironia: “Se eu fosse o Mitidiero faria um acordo com a justiça por meio de uma delação premiada (benefício concedido ao criminoso que entrega seus comparsas)”.

O vereador deixou a tribuno sob aplausos do público presente.

Denúncia protocolada no Tribunal de Contas

Na semana passada o vereador Saulo Benevides protocolou no TCE (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) uma importante denúncia contra a CEMED e o Instituto Iluminattus. Segundo o documento, Saulo acusa a Municipalidade de má gestão. “O descaso com a rede da saúde é imensurável e o orçamento do Município já foi comprometido em cerca de R$ 70 milhões com empresas que sempre atuaram de forma inconsequente e, até hoje, são alvo de investigação por desvio de dinheiro público”, destacou.

O vereador afirmou que protocolou a denúncia com a intenção de direcionar o TCE a uma investigação específica nos contratos com a Saúde, podendo causar maior agilidade na apuração dos fatos que, segundo ele “o desvio de dinheiro público é prática comum na atual gestão municipal”.

Compartilhe